Bêbada de você

23 setembro, 2017
Eu devia ter bebido menos. Essa mania de ser tão intensa em tudo... 

Créditos: xusenru

Não consigo ser um gole só. Sou o copo, a garrafa toda. Senão não sou. Eu deveria ter dizer também que era pra você estar aqui me beijando e eu não consigo achar nenhuma razão pra isso não estar acontecendo. Podemos colocar a culpa na minha intensidade também. 

Mas o problema é que se eu sou o vendaval que sai arrastando tudo, você é a árvore de raízes fortes na terra que não se abala com nada. Nem mesmo com esse meu pedido. Nem mesmo com o fato de que nós somos a melhor combinação dos últimos tempos.

Eu odeio como as coisas parecem tão certas quando estou contigo. E como me pego sorrindo feito boba quando você não está me olhando - e talvez quando esteja também, coisas assim não dá pra disfarçar. Você trouxe a tona algo que eu tinha escondido há muito tempo: minha vulnerabilidade. Por trás dessa capa toda, tem um ser cheio de sentimentos, que os guarda até o momento que seja a hora de mandar essa mensagem que estou segurando pra não mandar.

"Só mais um copo", eu penso. Um copo a mais não vai fazer mal pra quem já bebeu tantos outros, não é mesmo? E é o mesmo com a gente. Se isso vai dar em algo ou não, eu já não sei. Mas todas as vezes eu apareço na sua porta, com um sorriso de lado e a vontade de permanecer um pouco mais. Mesmo sabendo que irei embora em breve sem saber quando nos veremos novamente. 

E isso é algo ruim? Muitos diriam que sim, mas você é como essa bebida que estou consumindo agora. Um copo a mais não faz mal. Até eu me sentir totalmente inebriada pela sensação. Aí, meu amigo, não vai ter jeito. Estarei bêbada de você.

1 comentários:

Comente pelo Facebook

  1. Fazia muito tempo que eu não vinha aqui, estava com saudades de ler seus textos, que sempre são lindos e bem escritos. <3

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir