O Whatsapp Parou

17 dezembro, 2015


Muitos desacreditaram quando a notícia saiu. Se já disseram isso antes e nada aconteceu, porque agora seria diferente? Outros se desesperaram, correram pra avisar seu círculo de amizade. Afinal, seria 48 horas sem nenhum tipo de comunicação. Procuraram maneiras de fugir da sentença, julgaram e gritaram para aqueles que decidiram. Não escondo minha parcela nessa história. Eu mesmo uso o whatsapp pra praticamente tudo. Trabalho, blog, vida pessoal, contatos... Sempre achei tão mais prático. E minha primeira conclusão foi: "Ah, eu dou um jeito e ele volta..."

Por ironia do destino - ou uma sacada bem esperta dele - acordei sem voz. Logo eu. A pessoa que tem uma necessidade constante de comunicação. Maldita gripe. Levantei e fui tomar meu café. Minha mãe falava mil coisas e eu tentava desesperadamente responder, com gestos e sussurros. Ela não entendeu muita coisa então desisti e fui trabalhar.

Chegando no trabalho, a barulheira constante. Várias vozes se misturando, tentando encontrar seu destino final. E eu apenas observava, pensando se naquele momento, uma lousa e um canetão resolveria meus problemas. Não conseguia resolver as pendências, não conseguia contar as piadas de sempre e nem realizar a cantoria de todas as tardes. A garganta já doía mais nessa altura, fruto do excesso de força empregado nela para que a voz saísse mais alta. Mas isso não adiantava.

No fim do dia, já cansada, era hora de retornar para o lar. As pessoas apressadas, mal me notavam, a ausência de voz me fazia sentir ainda mais invisível. Eu não tinha participação naquilo tudo. E fiquei pensando que estava isolada, para em seguida chegar à seguinte conclusão: Será que não vivemos isolados todos os dias?

Voltei a pensar no Whatsapp. Poderia sim baixar algum app e restaurá-lo. Mas o que adianta ter voz lá, se a cada dia perdemos mais nossa voz no mundo real. Muitos acham que ficamos excluídos quando o Whats saiu do ar. Realmente, para algumas pessoas, é a única forma de contato para falar com outras. Eu mesmo disse no começo desse texto que uso para o trabalho e ele facilita muito a vida. Mas focamos tanto nele, na atmosfera virtual, que esquecemos de aproveitar quem está por perto. Para quê visitar um amigo, se posso mandar um áudio contando as novidades? Para quê levar o bebê para brincar com a avó, se posso mostrar a foto dele brincando em casa? Até que ponto estamos deixando a tecnologia dominar nossa vida?

Minha voz ainda não voltou. O Whatsapp também não. Mas não me sinto mais impotente. Fui viver sem ambos. E vou usá-los com moderação quando voltarem.


1 comentários:

Comente pelo Facebook

  1. Boa reflexão!
    Semestre passado, fiz um trabalho sobre tecnologia e li um texto em um blog que me serviu como base. Texto bem realista com o título " A tecnologia está criando idiotas".
    Vi uma pesquisa (e ri muito) que dizia: as pessoas prefere o celular do que água e luz. What?

    As pessoas não sabem lidar com a tecnologia. Deixam de curti o mundo real pra ficar "em uma tela".

    PS: Detesto WhatsApp. Mais eu sei que é preciso usar para algumas ocasiões. haha

    ResponderExcluir