Fazer o Bem: Campanha Secos Pela Vida

30 julho, 2015
Ajudar o próximo faz bem para a alma e o coração. Você já doou sangue esse ano? Já é doador? Eu, infelizmente não posso ser doadora por pesar menos que 50kg. Mas nos últimos meses pude ajudar e conferir o nascimento de uma campanha cheia de amor: A Secos pela Vida.

Integrantes da Campanha (e amorzinhos da Dai ♥) durante o dia de doações em SP
Tudo começou no grupo de fãs do coletivo e compositores 5 a Seco. Ali mesmo eles se organizaram, começaram a mobilizar os outros estados e criaram a campanha, que nessa primeira edição, irá até dia 11 de agosto.

Conversei um pouco com a idealizadora e a organizadora da campanha para entender como funcionou todo o processo e vocês podem conferir a pequena entrevista a seguir:  

BDG: Como surgiu a ideia?
Monique Nascimento: A ideia surgiu por querer ser solidário e necessário, sempre dentro do grupo de amigos surgia alguém falando sobre a doação de sangue e como necessitei e necessito ainda dessa doação as vezes, incentivo sempre q vejo o assunto em pauta. Observando isso e toda a minha história envolvida, a Mandy teve a ideia e disse para algumas pessoas do grupo e como não posso doar decidi ajudar a organizar todo o projeto. 
Amanda Suterio: A ideia surgiu em uma conversa no grupo do whatsapp sobre a importância da doação de sangue na vida das próprias pessoas do grupo, pessoas que já precisaram de transfusão, inclusive. Levantei a ideia da campanha que foi muito aceita. Uns dias depois a Van (responsável pela parte gráfica da campanha) me mostrou a arte que ela tinha feito, que nos deixou mais empolgados ainda e começamos a campanha.

BDG: Como vocês se organizaram? 
Monique Nascimento: A organização foi um pouco difícil no começo por calhar de ser no mesmo tempo que o TCC da idealizadora mas demos um jeitinho! (Risos) Eu sou a que mais "movimenta" e convida as pessoas a se unirem à campanha tentando explicar o bem que cada doação fará.
Amanda Suterio: A organização foi simples, levantamos quem gostaria de ajudar e vimos o que a equipe tinha que pudesse levantar a campanha e as necessidades desse tipo de campanha e assim fomos nos organizando.

Créditos:Campanha Secos pela Vida
BDG: Como vocês se sentiram realizando essa ação?
Monique Nascimento: Eu me sinto imensamente feliz, de certa forma por retribuir com tudo o que muito me ajudou a estar viva hoje, gosto de saber que com o sangue, que com o que cada um doar, vidas serão salvas e famílias estarão completamente agradecidas pela atitude, além dos próprios receptores.
Amanda Suterio: O sentimento é de muito trabalho pela frente, uma campanha dessa merece que nos empenhemos pra ela continuar sempre. As pessoas sempre precisam de sangue, não é uma doação coletiva, é lutar pra que essa galera que vai doar se torne um doador continuo.

BDG: O que vocês diriam pras pessoas que estão lendo agora sobre fazer o bem?
Monique Nascimento: Eu diria que fazer o bem é lindo, saber que até quatro vidas podem ser salvas com a sua doação é imensamente bonito e agradável ao coração! E como uma receptora de sangue e plaquetas por mais de vinte anos, eu gostaria de agradecer ao carinho, ao amor e o sangue que cada um de vocês doou ou doara ainda nessa linda vida de solidariedade e amor ao próximo, muito obrigada! Faça o bem sem olhar a quem! Doe sangue, doe médula, seja doador de órgãos, doe vida.
Amanda Suterio: Eu acho que doar sangue é mais que fazer o bem ao próximo, é fazer um mundo melhor para todos.

Se você quiser mais informações, pode curtir a page, que tem várias curiosidades sobre a importância da doação. Lembre-se, sempre é tempo de ajudar o próximo. ♥

Meus Momentos: Eu fui ao show do Backstreet Boys!

28 julho, 2015
Como eu tinha prometido no primeiro post dessa série, ia contar o que andei aprontando no mês passado. E quem me conhece ou acompanha o blog sabe meu amor por esses 5 que não vem de hoje. Ok, já faz um tempinho que eles vieram e foram embora deixando muitas saudades e lembranças para nós, pobres mortais. Mas eu não podia deixar isso passar em branco. Porque sim, eu fui ao show. E digo mais, fui ao evento VIP e vi eles de pertinho! Então apertem os cintos porque esse post será cheio de emoção. Da minha parte, pelo menos! hahaha

Eu relembrando aquele fim de semana

12 de junho de 2015. Dia dos namorados? Que nada! Dia de ver os Backstreet Boys! Seria meu segundo show e a primeira experiência VIP. Pra quem não está habituado, o VIP consiste em: Um pocket show/passagem de som, sessão de perguntas e respostas e fotos com todos em grupos de meninas, ou individualmente, dependendo do pacote. O meu, como era o mais básico, não tinha direito a foto nenhuma. =/

Chegamos eu e a bff ao Citibank Hall cedo, e entramos na fila do VIP. Não me lembro ao certo que horas começou o evento. Porque eles apareceram tão do nada, que quase enfartei na hora! hahahaa Tentei gravar um pequeno vídeo pro instagram, e saiu isso:

Um vídeo publicado por Daiany Gomes (@gingerdai) em

Sim, sou eu cantando. Me desculpe por isso. Daí pra frente foi só alegria. Apesar do visível cansaço, até porque eles estavam numa verdadeira maratona de shows, todos pareciam bem animados e simpáticos.

Lindezas no Q&A ♥
Depois fomos retirados do local para que o pessoal do pacote de fotos pudesse usufruir do benefício (invejinha branca nessa hora). E ficamos aguardando  para poder retornar, agora pros lugares comprados para o show, já que todos os vips tem entrada antecipada garantida \o/

Compramos plateia mesmo, porque sabíamos que a pista ia lootaaaaaar e porque os lugares mais perto já estavam esgotados.

E quando o show começou... Foi uma loucura! Todo mundo cantando, dançando, interagindo. Teve uma homenagem dos fãs com balões, teve happy birthday pra um membro da equipe deles.

E o que são 5 pontinhos azuis em cima do palco? São os Bluestreet Boys! Não, pera...

Curtindo de boa o show

No fim, ficou a sensação de quero mais. Ficou a expectativa de querer tudo de novo. Obrigada, mais uma vez, eternos garotos da rua de trás. Espero que não demorem a voltar. ♥

13 dicas de presente para o dia dos pais

26 julho, 2015
E aí, galerinha bonita, como estão? Dia dos pais tá chegando e muita gente deixa para comprar o presente em cima da hora. Para você não entrar nessa lista de pessoas esse ano de novo, eu já preparei esse post com 13 dicas de presente para deixar seu paizão feliz. E olha, tem pra todos os gostos: Pai nerd, pai esportista, pai que adora uma breja e um churrasco no fim de semana... É só clicar nos links numerados e montar o seu presentão \o/


1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13

Curtiram? Confesso que muita coisa dessa lista eu queria para mim, como essa vitrola linda de morrer, e o copo do Star Wars (que já estou providenciando ♥).

Agora não tem mais desculpa para não comprar. Aproveita e me conta nos comentários o que você vai comprar ou fazer, se você é uma daquelas pessoas criativas que amam D.I.Y, que eu vou adorar saber!

A mulher que morreu só

23 julho, 2015
Créditos: fancycrave1
Quando jovem, ouviu exclamarem o quanto era independente. Suas amigas a invejavam por desprender-se do amor com tanta facilidade. Mal sabiam elas que na verdade o amor a consumia por dentro de tal forma que não conseguia arrancá-lo de si, muito menos renová-lo para que fosse algo benéfico de novo. Nessa constante luta interna, ela fechou-se pra si mesma. E suas amigas? Anos mais tarde diziam como era boba e o quanto estavam felizes em seus relacionamentos.

Conheceu muitos homens. Se relacionou com poucos. Fisicamente, eu digo. Porque com eles tinha as mais sinceras e francas conversas. Eles a consideravam culta e diferente e bradavam que o mundo precisava de mais mulheres assim. No fundo, eles achavam que não. Só se excitavam com a novidade. Sabe porque sei disso? Porque depois, um por um, casaram-se com mulheres quietas, tímidas. Diria que até submissas. E exclamavam aos quatro ventos como tinham boas esposas.

Nunca recebeu flores. Não porque não gostava de tal ato. Muito pelo contrário. Ela adorava o cheiro que elas exalavam quando se aproximavam de seu nariz. Todos sabiam de sua paixão pelo o que ela dizia ser "poesia em forma de cores e aromas". Esperou pelo dia em que, feliz se entregaria novamente e com seus olhos brilhantes, agradeceria tão singelo ato. Mesmo assim, nunca as recebeu. E tal dia nunca chegou. Para sanar tal fato, ela enchia seu próprio lar com as mais diversas flores, e cuidava como se fosse suas próprias filhas. E elas eram isso mesmo. Filhas de vida curta, que enchiam sua vida e escutavam suas mil histórias. Algumas pessoas encontram companhia nos animais. Ela encontrou e amou as plantas.

Mas não a vejam como uma mulher fraca e solitária. Peço que a enxerguem como a mais forte dos seres humanos. Ela aceitou pra si seu destino e viveu feliz como tal.

Conheceu mil lugares. Viveu tantos contos. Cruzou vários caminhos e deixou um rastro de saudade e luz por onde passou. No silêncio do apartamento do sétimo andar, ela descansava e refletia como poucos. Da sua velha cadeira, observava as pessoas passarem freneticamente. Ouvia o barulho da chuva que enchia-lhe a alma. Aos poucos os amigos foram desaparecendo. Foram tomando seus rumos até que se viu completamente só.

Quando chegou a hora, partiu. Certa que cumpriu sua missão no mundo. Certa de que apesar de tudo, foi feliz.

Sobre velhas lembranças na estante

19 julho, 2015
Créditos: PublicDomainArchive

Dia desses fui organizar minha estante. Confesso, nunca fui símbolo de organização e as coisas precisam estar realmente uma bagunça para que eu me manifeste e tome alguma atitude. Mas, apesar de ser uma atitude que não me agrada muito, remexer nas antigas coisas remete ao passado e as lembranças que ficam congeladas, sejam boas ou ruins. É engraçado como as memórias parecem materializar em estantes e prateleiras. Ficam ali, imóveis, estáticas, esperando que alguém as desenterre do fundo do baú - ou da gaveta.

O primeiro que chamou minha atenção foi um caderno velho, com todas as folhas rabiscadas. As que não tinham contas matemáticas ou lições de química, as quais nunca entenderei, carregavam vários corações que me fizeram lembrar a primeira paixão e letras da minha banda preferida da época. Cantei e dancei como fazia, dessa vez sem meus amigos para acompanhar e sem o ventilador que usávamos para acreditar que estávamos em um vídeo clipe. Não tínhamos medo de sermos bobos. Estávamos apenas sendo felizes.

Em seguida encontrei um ingresso, já gasto pelo tempo. Quase não se dava para ler o que estava escrito, mas não precisava de letras para saber o que aquilo significava para mim. Automaticamente me lembrei dos shows que fui e lavei minha alma. Dos eventos que fui e vivi momentos inesquecíveis. Das pessoas que me acompanharam e das que conheci nessas pequenas aventuras. Não pude deixar de sorrir. Não consegui evitar querer tudo de novo.

Voltei mais no tempo abrindo o guarda roupa e encontrando um vestido da infância. O rosa já está desbotado e existem alguns rasgos no tecido, resultado das minhas travessuras. Agora ele está também um pouco molhado, dado às lágrimas que caem involuntárias. Certas coisas nunca mudam, e uma delas é o fato de eu ser uma bela manteiga derretida desde nova. E as imagens do passado inundaram meu pequeno quarto, me levaram para uma viagem da qual não queria mais descer. Mas a vida chamava. Guardei tudo, junto com uma parte da minha alma. E fui coletar no mundo mais souvenires para a grande estante que é a vida. 

Volta (?)

16 julho, 2015
Créditos: Foundry
Talvez seja loucura da minha parte, mas cada vez que eu a vejo ir, uma parte de mim acaba a acompanhando. Vejo seus outros amores, suas noites solitárias nas festas, os drinks que ela toma enquanto caça sua próxima vítima. Tudo isso passa como um slide em minha mente no silêncio do quarto. E sei que é apenas fachada para esconder a dor do amor que ela sente. Amor que não sou eu. 

E mesmo não sendo, ela insiste em me procurar. Repousar teu rosto em meu peito e desfrutar de uma noite mágica. Noite, essa, que se multiplica em muitas mais. Não é segredo o quanto eu a quero e não sei se ela se aproveita disso para sanar sua dor. O fato que ela sempre volta. E na manhã seguinte se vai sem a menor cerimônia. 

Nessa hora, sinto vontade de pegar em seu braço e sussurrar em seu ouvido "fica". Dizer que ter só pela metade é não ter nada. Mas então lembro do discurso libertário que eu já escutei até decorar e finjo que nem vejo que já é hora dela levantar. 

Discurso chato esse, viu? De quem quer gritar aos quatro ventos que tá bem e tá feliz pra ninguém mais perguntar do real motivo da sua tristeza. Ah, moça. Se quer viver compartilhando dores e amores por aí sem nem ver o que eles podem te acrescentar, tudo bem. Mas faça isso com quem não espera por seu beijo e pelo dia em que você permaneça na minha cama e na minha vida. Não esmague os sentimentos de quem só quer reviver os seus que andam adormecidos. 

Então decida-se: Ou fica de uma vez ou nem precisa aparecer na próxima noite.

5 produções Netflix que você precisa conhecer

14 julho, 2015
Quem me conhece sabe que um dos meus maiores vícios são as séries. Sim, acompanho (ou pelo menos tento acompanhar) várias. E de uns tempos, o Netflix tem sido meu melhor amigo! Pela praticidade - apesar das séries ativas ainda demorarem muito para serem atualizadas -  e por suas produções cada vez melhores. Com o sucesso de Orange is the New Black e Sense8, resolvi fazer esse post para apresentar e indicar outras séries com o selo Netflix de qualidade para vocês também conferirem:

UNBREAKABLE KIMMY SCHMIDT

Créditos: Divulgação

Uma comédia com um humor peculiar e com tom de crítica em todos os episódios. É assim que defino UKS. Mas não se assustem. A série é muito gostosa de assistir, e os episódios passam voando! A primeira temporada tem 13, e cada um tem pouco mais de 20 min. Conta a história de Kimmy Schmidt, uma garota que é liberada de um cativeiro 15 anos depois de ser presa por um líder religioso que disse à ela e às outras prisioneiras que o Armagedom estava chegando. Agora livre, Kimmy - que é de uma cidade pequena -, decide se aventurar em NY e redescobrir como é viver em sociedade. E a musiquinha de abertura fica mesmo na cabeça!

BETTER CALL SAUL 

Créditos: Divulgação

Se você assistiu Breaking Bad e adorava Saul Goodman, precisa assistir essa série. Ela nada mais é que um spin-off conta o passado de Saul (até então JimmyMcGill) e como ele se tornou o advogado mais malandro (e mais amado pelos fãs). A primeira temporada tem 10 episódios, com duração média de 50 min.

AS AVENTURAS DO GATO DE BOTAS

Créditos: Divulgação

Coloquei essa animação por que era um domingo chuvoso só para me distrair e... QUE SURPRESA! Uma produção muito bem feita, com roteiro bem escrito que com certeza não cativa apenas crianças. Até porque assistimos 5 episódios seguidos! Aqui, o já querido gato de botas (isso, aquele da franquia Shrek e que possui filme próprio também) tem a missão de proteger a cidade de San Lorenzo dos ladrões e pessoas interessadas em se apossar do grande tesouro que existe na cidade. São 10 episódios com 23 min. Mas uma segunda temporada vem por aí.

BLOODLINE

Créditos: Divulgação

Essa é mais uma das séries que eu comecei a assistir sem muitas pretensões e realmente me surpreendi. É um drama familiar cheio de mistérios. A primeira temporada tem 13 episódios com pouco mais de 50 min cada. Conta a história dos Rayburn, uma família rica e aparentemente perfeita, que tem suas estruturas balançadas quando o filho mais velho, Danny, retorna. Logo no primeiro episódio um crime acontece e vamos acompanhando nos próximos o desenrolar da trama. A série possui muitos flashbacks e também cenas do futuro (após o crime) e aos poucos as peças vão se encaixando para o telespectador.

GRACE AND FRANKIE

Créditos: Divulgação

Comecei essa série por causa de indicações positivas  e estou gostando bastante. Apesar de estar no gênero comédia no site, acho que ela tem um quê de drama muito forte. Ela conta a história de Grace e Frankie, duas mulheres completamente diferentes, com realidades opostas mas com uma coisa em comum: Seus maridos, melhores amigos e sócios, resolveram se assumir gays e se casarem. Diante da notícia, elas tem que lidar com o divórcio, o choque e a surpresa. São 13 episódios com duração média de 30 min. 

Gostaram das indicações? Já assistem ou pretendem assistir alguma? Conta pra mim nos comentários!

O sonho

12 julho, 2015
Créditos: mcconnmama

- Vem, segura na minha mão pra não sentir medo.

Ela assentiu e segurou na mão dele. Os dois olharam pra cima pra imensidão branca e a pequena luz que iluminava o quarto do hospital. Era a primeira vez que se viam de fato, mas o afeto e a solidariedade de criança os fizeram sentir como se já se conhecessem desde que nasceram. Ela mordeu o lábio sem esconder a ansiedade.

- Onde está minha mãe? Quero minha mãe! - Disse, com a voz falha e chorosa.

- Calma - ele disse, em um tom sereno -, ela está com o doutor. Meu pai disse que eles precisavam conversar sobre os últimos detalhes. Que era como minha festa de aniversário, pra dar tudo certo, não pode esquecer de nada. Talvez nos dêem balões no final. Eu gosto de balões.

Agora olhavam pra fora e observavam uma multidão que passava na pressa, feito flash pela porta deles. Parentes, médicos, enfermeiros. Todos ali cumpriam seu papel roboticamente.

- Minha mãe disse que estou muito dodói, mas que isso aqui vai me curar. Você é um super herói?

- Não que eu saiba. Um dia tentei atravessar a parede. Não consegui. Doeu e minha mãe brigou comigo porque apareceu um negócio na minha testa. Talvez meu pai saiba e por isso disse ao médico que te salvaria.

- Seu pai está te obrigando a me ajudar? - Perguntou, assustada.

- Não! Eu quero que fique bem igual à mamãe. Ela estava dodói igual a você. E aí uma pessoa legal fez o mesmo que fiz e agora ela tá lá em casa. Só fica deitada ainda, mas o papai disse que logo ela estará bem de novo e vai poder me levar pra escola de novo.

- E como vocês souberam de mim?

- Papai e eu estavamos aqui no hospital felizes porque ela estava saindo. Ela ficou um tempão aqui, sabe? E ele disse que se pudesse ajudar outras pessoas assim, era só chamá-lo. Aí tinha você, só que só eu podia ajudá-la. Perguntei o que eu tinha que fazer para que você ficasse bem igual a mamãe. Ele disse que meu sangue faria você melhorar. Perguntei se ele era um vampiro e ele riu. Rir é um bom sinal, né? Enfim, ele explicou tudo pro papai que entende mais do que porque é adulto e aqui estou eu.

- Obrigada por me salvar. Mamãe estava com medo que eu morresse. E eu não quero abandoná-la.

- Pra isso que servem os amigos.

- Somos amigos então? - Os olhos dela brilharam.

- Claro, você até está convidada pra minha festa!

- Eu estarei lá, porque não vou estar mais dodói.

Os médicos chegaram e os levaram para a sala de cirurgia. Naquele quarto branco restaram a esperança que é viver e o brilho do amor e da solidariedade. E hoje, 20 anos depois, brindo ao casamento de duas pessoas que o destino uniu para o bem e que o amor juntou para a eternidade. Ela está aqui por causa dele, e o seu sangue a salvou.

Mega Playlist: Boys and Girlbands

10 julho, 2015
Salve, galerinha! Como vocês estão? Aqui em SP é feriadão e o sol até resolveu sair. E aproveitando o feriado e o fim de semana que está chegando, montei uma mega playlist com o tema que mais gosto e que modéstia à parte, eu mais entendo: Boybands e Girlbands. Sim, eu ainda estou presa aos anos 90 e não pretendo sair tão cedo HAHAHAH

Com a ajuda do meu querido irmão (valeu Wallace!) selecionamos várias bandas com meninos e meninas bonitinhxs que estouraram naquela época. Além disso, optamos por aquelas músicas que fizeram bastante sucesso, mas foram ofuscadas por outros singles. Pra você ouvir e falar "Caramba, eu lembro dessa música"! E se você lembrar de mais alguma que não está nessa playlist, deixa aí embaixo nos comentários. Quem sabe faço a parte 2 só com as sugestões de vocês? 

NEW KIDS ON THE BLOCK - You Got It (The Right Stuff)

MENUDO - Não Se Reprima

BACKSTREET amores dessa pessoa que vos escreve BOYS - Larger Than Life

SPICE GIRLS - Stop

'N SYNC - I Want You Back

5IVE - Don't Wanna Let You Go

TLC - Unpretty

ALL SAINTS - Under The Bridge


DESTINY'S CHILD - Bootylicious

HANSON - Mmbop

TAKE THAT - Back For Good 

BOYZONE - All That I Need 

WESTLIFE - Uptown Girl


E é claro, não podiam faltar as versões brasileiras Hebert Richers...

ROUGE - Não Dá pra Resistir

BR'OZ - Prometida (Versão Domingo Legal!)

TWISTER - 40 Graus

DOMINÓ - Baila Baila Conmigo

SNZ - Longe do Mundo



BÔNUS!!!! (Porque são legais e porque a dona do blog adora essas músicas)
BORA DANÇAR GALERA!!11!1!


THE PUSSYCAT DOLLS - I don't need a man

NKOTBSB (Baby!) - Don't Turn Out The Lights 


Curtiram? Dançaram? Relembraram a infância/adolescência quando vocês sonhavam em casar com algum boy ou alguma girl? HAHAHA Deixa aí nos comentários qual era a sua preferida!


Meus Momentos - Rio de Janeiro

05 julho, 2015
Voltando com as atividades do blog, resolvi criar uma nova seção no blog chamada "Meus Momentos". Vou contar um pouquinho das minhas aventuras por aí. Começando os trabalhos, vou mostrar o que andei aprontando na minha ausência.

No fim de maio, me aventurei em terras cariocas com minhas duas fieis escudeiras para um fim de semana inesquecível. Já havia conhecido a cidade em 2013, durante a JMJ, mas voltei agora apenas para turistar e me encantar ainda mais com aquele lugar. Ficamos em um hostel, onde fomos bem atendidas todo o tempo. Com certeza, retornarei para ele nas minhas próximas viagens (Olimpíadas, aí vou eu!). Depois de deixarmos as malas, começamos os trabalhos porque havia pouco tempo e muita coisa para ver. E o primeiro destino foi o Arpoador. E faltam palavras para descrever a beleza e a imponência desse lugar. Na falta delas, apreciem por imagens do meu humilde celular (tá mais que na hora de eu comprar uma câmera, eu sei...):



Eu admirando/pensando na vida, no universo e tudo o mais

O próximo destino escolhido foi o Jardim Botânico. Esse ainda não havia conhecido e estava curiosa para descobrir o que havia dentro. Pagamos 9 reais para entrar. E passamos o resto do dia desbravando e tirando milhaaaares de fotos hahaha É um belíssimo lugar para se visitar com a família, os amigos e/ou namorado(a).

Nosso novo amigo Alvie (Sim, porque não chamar de Alvie?)


Eu bancando a modelo #soqn

Por fim, no dia seguinte fomos até a Lapa e a famosa Escadaria Selaron. As ruas estavam lotadas porque era um domingão de sol, mas como não tínhamos mais tanto tempo, logo voltamos para nos despedirmos da praia e voltarmos pra nossa selva de pedra.



É hora de dizer "até logo" :/
E esse foi o diário de viagem e o primeiro de muitos (eu espero) dos meus momentos! O próximo será de algo que presenciei em junho e que com certeza foi inesquecível. 

Ah, e esse foi o post número 100 do blog. Mais especial impossível. <3