A conversa

18 março, 2015
Créditos: Photl


Chego em casa, cansado do dia estafante no trabalho. Abro a porta e encontro ela lá, vestida como se fosse para o evento mais importante da vida, sentada na minha poltrona predileta, um copo de uísque na mão, aquele meu 18 anos para ocasiões especiais. É nesse momento que percebo ser essa uma dessas ocasiões.

“Venha, sente-se aqui, pegue um copo, vamos conversar” ela me diz. Sabia que devia ter preparado o meu psicológico antes, mas não esperava por isso tão repentinamente. Sei que ela é muitas vezes dura, mas sempre honesta e sincera em suas palavras, sempre disposta a me dar uma lição, muitas vezes dolorosa, mas sempre verdadeira.

Me sento, sirvo-me de alguns goles, penso em tudo que passei até ali, em todas as porradas que ela já me deu, mas também no conforto que jamais encontrei em outros braços. Afinal de contas, ela era a única disposta a me ouvir, independente do que estivesse acontecendo ou da raiva que eu nutria por ela em diversos momentos.

- Você sabe por que estou aqui?

- Acredito que sim, não tenho tanta certeza.

- Estou aqui pra te lembrar, o que tem feito até agora? E não estou me referindo a trabalho ou estudos, nisso eu sei que você tem uma dedicação ímpar.

- Eu sei, afinal de contas sabe tudo sobre mim, não existem maneiras de esconder nada de você. Mas o que quer dizer com o que tenho feito até agora?

- Oras, quantas pessoas passaram pela sua vida? Quantas você deixou entrarem, te conhecerem da mesma forma que conheço?

- Bem... Algumas... E nenhuma.

- Pois então, é sobre isso que quero falar com você. Até quando vai continuar assim, com essa placa enorme que diz “fechado para balanço” no seu coração? Parece mais que ele entrou em concordata.

- Na verdade, eu não tenho tempo para essas coisas, você sabe disso.

- Só tenho a te dizer que quem quer, faz acontecer. E nesse caso, parece que você não quer.

- Não é que eu não queira, só não sei se estou preparado para entrar noutro relacionamento de cabeça.

- Você está preparado a uns dois anos e não precisa entrar de cabeça, se deixe entrar aos poucos. E aquela garota, como é o nome dela mesmo? Ah sim... Sara. Ela gostava muito de você e sei que isso era recíproco. Por que não retornou as ligações dela?

- Sinceramente não sei, acho que tive medo de não corresponder ao que ela queria.

- Lá vem você mais uma vez com essa história de medo. Medo do quê? De se machucar? Machucar alguém? Já reparou que tomando essas atitudes, você acaba machucando as pessoas de qualquer forma?

- Não tinha parado pra pensar nisso, mas já que tocou no assunto... Acredito que seja verdade.

- Então por que não pega esse telefone e liga pra ela?

- Ela já deve ter me esquecido, ou está com outro alguém.

- Isso você só irá descobrir depois que ligar.

Peguei o telefone, disquei aqueles números. Depois de alguns minutos de conversa, um encontro estava marcado. E ela ainda ali sentada com o copo na mão, com aquele sorriso que me diz “viu como sempre estou certa?”. Odeio esse sorriso, mas ela sabe de tudo. Presente, passado e futuro. Nada escapa daquele olhar observador, que enxerga sua alma.

- Hahaha viu?! foi difícil falar com ela? Acredito que não.

- Realmente não foi, mas você sabe como meu último relacionamento me deixou.

- Sim, eu sei e por isso estou aqui. Para te dar o empurrão necessário e te forçar a sair da inércia, vê se dessa fez faz diferente, tira essa muralha desse coração e deixe ela entrar. Você verá como as coisas serão, você está mais maduro agora.

- Obrigado, você sempre acerta.

Quando as lágrimas começaram a rolar nos meus olhos, ela se levantou e veio até mim, colocou minha cabeça em teu peito, me passou aquela sensação de proteção, até que adormeci em seu colo, sabendo de uma coisa: por mais dura que a Vida seja, ela sempre sabe desenvolver o melhor em nós.


16 comentários:

Comente pelo Facebook

  1. Nossa que texto fantástico, me senti acolhida também, muitas das vezes reclamamos, nos fechamos do mundo, achamos que esta tudo ruim e só irá melhorar quando nada mais existir. Quando na verdade esquecemos a melhor face da vida, a parte em que estamos vivos. E isso é um bem tão grande, e que esquecemos. Devemos mesmo é aproveitar oportunidades, e se elas não aparecerem, devemos cria-las.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Paola! Às vezes nos fechamos tanto que esquecemos que a vida sempre está ali com uma nova oportunidade, apenas esperando que aceitemos

      Excluir
  2. Sempre tenho aquela sensação de "preciso ler o final" para quebrar o mistério, mas dessa vez eu acertei hahaha texto muito bom e muito real. Nem preciso falar que me identifiquei!
    Abraços.
    48janeiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse eu confesso que tive que ler até o final pra entender de quem se tratava hahahaha ~le eu loira~

      Excluir
  3. Me identifiquei bastante com esse texto. Ando em uma fase de não querer deixar "ninguém entrar", medo de entrar em um relacionamento sério e me machucar, como já aconteceu tantas outras vezes. Tenho consciência de que criar esse tipo de bloqueio acaba me prejudicando muito, e às vezes é difícil sair dessa situação e tentar recomeçar, mas isso é necessário, e só tentando que a gente consegue sair disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como sempre: Estamos numa fase muito parecida, sis. E lendo esse texto do And eu percebi que talvez eu esteja deixando as oportunidades da vida passarem por mim

      Excluir
  4. Cara, que texto incrível. Li cada parte esperando o final para saber quem era essa mulher. Passou de tudo na minha cabeça e quando li o final e sorri concordando com exatamente tudo.
    Sabe, eu preciso que a vida venha conversar comigo também. Ter aquele papo bem agradável... Só ela me ajudaria!

    http://www.agindodiferente.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danie, também tô precisando bater um papo com a vida, viu? Ver se ela me dá algumas respostas hahahah

      Excluir
  5. Ca-ra-lhow.

    Quem era essa mulher? Ex-mulher? Morta? Fantasma? Amiga? A vida?
    Cheia de dúvidas aqui... Adorei ler esse texto! Um beijão

    Eu.Nomadiando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAHAHAHAHA esse texto deixa esse suspense no ar, mas no fim ele dá uma dica...

      Excluir
  6. Amei o texto!
    O medo de arriscar pode causar perdas de histórias incríveis.
    Abraços Mika,
    Pensamentos Viajantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, por isso sempre devemos tentar de novo!

      Excluir
  7. Que lindo, sério.
    Temos sempre que arriscar, mais e mais, pois as vezes passamos a vida reclamando que nada acontece, quando tudo já está ali, diante dos nossos olhos.

    www.cultmidia.com

    ResponderExcluir
  8. Que texto lindooo! Fiquei curiosa para saber também quem era a mulher. Minha opinião: A mãe (?)
    Vai ter uma continuação? Por que, olha, eu tô na torcida! Sou apaixonada por todos os textos daqui, é incrível! Eles sempre nos fazem pensar sobre inúmeras coisas. <3 :D
    Um beijo!
    Yasmim Gil.
    http://cirandadeflores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem uma pequena dica dizendo quem é no fim do texto... E olha o spoiler: Vai ter continuação sim \o/ ~todos comemoram~

      Excluir