Carta a um desamor

02 dezembro, 2014
Olá pra você, que já foi tanto e agora é um eterno vazio.

Faz tanto tempo que não sei nada sobre você. Se está bem, se está firme com alguém ou se continua nas noitadas como estava quando decidi te esquecer. Eu tô bem. Aos trancos e barrancos, mas bem. E não sei porque, acordei hoje com você no pensamento. Estranho, pois já tinha me acostumado a nem pensar mais. Mas me veio tanta coisa na cabeça, tão do nada, que foi preciso parar e respirar fundo antes de voltar a focar a mente em qualquer coisa mais importante do que lembrar da sua existência. 



Você é aquele tipo de história que a gente deleta a mágoa, guarda a lição e decide não lembrar mais nem do que foi bom. Mas hoje lembrei. E vi que realmente já não há sentimento algum, apenas uma série de indagações de como tudo seria se a vida tivesse dado um rumo diferente pra nós dois. Mas que dois? Se sempre fomos uma invenção maluca da minha mente que eu insistia em alimentar para fingir ser feliz e você insistia em confirmar, talvez pelo seu ego, talvez por nunca ter se preocupado com nada nem ninguém que não fosse você mesmo. 

No fundo eu sempre soube que não éramos nada. No fundo, eu dizia acreditar nas suas verdades sabendo exatamente onde mentia. E você mentiu onde mais me doeu. Sem um pingo de consideração, sem pensar que estava provocando os sentimentos de alguém jovem, que ainda engatinhava nesse processo de se entregar pra alguém. Você cumpriu seu papel até onde foi possível, e quando a máscara caiu, você viu todos os pedaços da ilusão caírem ao chão junto com meu coração. E eu peguei cada caco, saí por aquela porta e tratei de remendar por completo longe de você. 

E não vou te enganar: Demorou. Vez ou outra eu colava um pedaço errado e tudo tratava de desmoronar de novo. Muitas vezes pensei que não conseguiria sozinha e que precisava da sua ajuda. Pensei também que jamais ele voltaria ao normal depois da queda que levou. Mas depois de muito esforço, ele estava ali. Com algumas cicatrizes, mas batendo no compasso certo. E já faz tanto tempo. Depois de ti, fui tratar de ser feliz. Veio tanta vida, tantas paixões, tantas histórias que você nunca ouvirá porque nunca mais vai saber de mim. 

E por incrível que pareça, só posso te agradecer. No fim das contas, você foi professor e me deu a lição mais importante. E quando passei no exame final, não passei de ano mas cresci e amadureci mais do que qualquer livro ensinaria.


Que você fique em paz, como eu fiquei sem você.

22 comentários:

Comente pelo Facebook

  1. Eu não gosto quando alguém fala que pegou os cacos do coração e foi remendar, sabe? Um coração não deve ser remendado, ele vai levar um bilhão de socos e pontapés, e é assim que deve ser, a única coisa que é preciso fazer é cuidá-lo, tratá-lo e fazer com que ele se renove. Seu texto ficou lindo e se encaixa muito bem em uma situação pessoal minha, mas te aconselho a jamais dizer que teu coração foi quebrado, porque, como você mesmo disse, foi um aprendizado. Parabéns pela escrita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kelly, tudo bem?
      Eu pessoalmente adoro essa expressão. Encaro como uma forma de recomeço. A cada vez que "juntarmos as peças", ele nunca mais será o mesmo, mas isso não significa que ele ficará pior. Apenas diferente.

      Muito obrigada pelo comentário!
      Volte sempre. ♥

      Excluir
  2. Primeiramente agradeço sua visita ao meu blog. :3

    Olha o nome do seu blog assim como ele é muito criativo, eu gostei de verdade! Agora eu gostei mais desse texto, como você escreve bem! E eu me identifiquei totalmente com ele essa parte "Mas que dois? Se sempre fomos uma invenção maluca da minha mente que eu insistia em alimentar para fingir ser feliz e você insistia em confirmar, talvez pelo seu ego, talvez por nunca ter se preocupado com nada nem ninguém que não fosse você mesmo."

    Esse trecho também exprimiu tudo que muitas passam, mesmo depois de mais jovens "E você mentiu onde mais me doeu. Sem um pingo de consideração, sem pensar que estava provocando os sentimentos de alguém jovem, que ainda engatinhava nesse processo de se entregar pra alguém."

    Sempre pensamos isso: "Muitas vezes pensei que não conseguiria sozinha e que precisava da sua ajuda." Eu infelizmente penso muito.

    Enfim ótimo texto, PARABÉNS! ♥

    Ariadne
    De volta ao retrô | Twitter | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ariadne,
      Primeiramente preciso dizer que é uma honra ver seu comentário por aqui hahaah *-*
      Acompanho e adoro seu trabalho há um tempo já. É tudo lindo ♥
      Fico muito feliz que gostado do meu cantinho, e esse texto é bem especial e pessoal e gosto de compartilhar as experiências com outras pessoas que passaram pelo mesmo. Acho que essa é minha "missão" com o blog.

      Volte sempre, tá?
      Beijão ♥

      Excluir
  3. "Você é aquele tipo de história que a gente deleta a mágoa, guarda a lição e decide não lembrar mais" acho que todos temos uma história assim :(

    www.alinefranca.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Aline, e esse processo apesar de tão doloroso é muito necessário pra nosso crescimento.

      Excluir
  4. Eu amo seus textos.
    Seu blog transmite muita paz.
    Eu gosto muito dele (;
    Beijos.

    http://leituradelua.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente, que comentário mais lindo! Paz é um sentimento tão necessário e tão escasso nos dias de hoje. Me dá uma alegria enorme saber que transmito um pouquinho pros meus leitores. *-*
      Volte sempre, Lu. Beijão! ♥

      Excluir
  5. Amei o texto e me identifiquei muito com ele, acho que todo relacionamento que passamos, por mais que não tenha dado certo, aprendemos algo.

    http://www.eucurtoliteratura.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu levo muito isso pra vida, Tainan. Não só em relacionamentos, mas no geral. Tudo o que passamos, serve de aprendizado.

      Excluir
  6. caraca que profundo , muito bacana :)
    http://falarique.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own, muito obrigada Rique!
      Volte sempre. ♥

      Excluir
  7. Uauuu, sempre arrasando... Mas acho que todos temos que cuidar do coração do proximo e não tentar remenda-lo!

    Blog Babi Marchi ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo nisso, Babi. Se todos cuidássemos e tentássemos ao máximo não magoar quem nos cerca, a vida teria menos decepções e corações com dor.

      Excluir
  8. Amei o texto, bem profundo, bem intenso!!
    Beijos, muito sucesso

    blogthayseferreira.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Own, muito obrigada Tha. Sucesso pra nós!
      Beijão ♥

      Excluir
  9. Acho que todas as pessoas que passam na nossa vida são importantes de alguma forma, seja pelo motivo que for e independente do tempo que permanecem em nossas vidas. E isso vale para qualquer tipo de relacionamento, sejam amizades ou amores. Até mesmo amores não correspondidos. Até mesmo amores que não deram certo. O que fica é a lição, o aprendizado. Sofrer faz parte da vida e encarar o sofrimento nos torna maduros, nos faz crescer e nos deixa aptos para viver coisas melhores. Então até mesmo as pessoas que nos fazem sofrer são importantes, por mais difícil que seja entender isso.
    Parabéns pelo texto, Day!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada minha linda, e mais uma vez, compartilhamos da mesma opinião HAUSUHA ♥

      Excluir
  10. Tô apaixonada por seus textos, parabéns Day!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, adoro ler seus textos também ♥

      Excluir
  11. Day, conheci seu blog hoje e estou incrivelmente impressionada, no bom sentido claro! Esse texto definiu uma pessoa que passou pela minha vida, durante todo ele. Cara, tu entrou no fundo do meu coração. Além do mais, o espaço do blog é super convidativo e harmonioso!

    Já estou seguindo e nem vou botar o link do meu blog aqui porque você já me presenteou com esse texto.

    Beijão e sucesso!

    ResponderExcluir
  12. Que texto lindo. Sempre que leio algo relacionado a pessoas do passado, percebo que elas nunca vão realmente embora. Por mais que falamos que nem lembramos mais, vez ou outra aquele alguém surge na mente e trás uma certa nostalgia. Isso não significa, de forma alguma, que ainda amamos. Talvez signifique apenas que foi bom e que agora conseguimos lembrar sem sentir raiva.
    Beijos

    http://vidasempretoebranco.blogspot.com

    ResponderExcluir