Qual é o caso, afinal?

23 novembro, 2013





Hey moço, você que chega com esse sorriso torto e esse abraço que diz “fique agora e vá depois”, você ainda não cansou de não ser meu? Teu jeito tão solto me prende tanto que chego a pensar se ainda sou eu. Não vou te pedir pra ficar, não vou sugerir um programa no domingo ou um filme que eu nunca ouvi falar. Não me leve a mal, nem é tanto por orgulho. É por falta de jeito. Por ainda não ter entrado nesse coração tão solitário e anti-romântico a ideia de que ele quer alguém. Quer pra valer. E até aceita esses clichês todos que sempre esnobou. Mas o caso aqui nem é esse.


Sabe rapaz, eu poderia muito bem te dar milhões de motivos, inventar milhões de porquês e te listar qualidades que nem nas próximas encarnações eu iria possuir só pra te convencer. Só que você me conhece bem demais pra cair nessa ladainha toda. E nem eu mesma sei ao certo o porque tudo isso daria certo. Nem ao menos sei SE daria certo. E por isso, continuo no meu mundinho, tão monótono comparado ao seu, com uma caneta, uma folha e milhares de pensamentos que tendem ao nada e não acrescentam coisa alguma nessa mente cansada. Mas o caso aqui nem é esse.

Olha garoto, eu não posso deixar de ser seduzida por você. De ser atraída por esse teu jeito e esse teu beijo que me vira do avesso e me arrepia dos pés à cabeça. Eu posso muito bem deixar pra lá como já fiz uma vez e viver minha vida no sossego. Sem esse vem-não-vou. Mas é você se aproximar que parece valer a pena correr o risco. E masoquista ou não, essa ausência não me corroi, não me faz mal. Você está lá e eu estou aqui, e tá tudo bem. Pode se aconchegar se quiser, mas pode continuar vivendo também. A vida tem dessas e eu já entendi. Mas o caso aqui nem é esse.

O caso é que eu acabei me vendo de uma forma que nunca tinha me visto e eu até agora não sei se isso é bom ou ruim. Sou tão ao avesso que sinto sua falta quando não devo e te deixo ir quando você deveria – e nas minhas loucuras chego a pensar que também queria – ficar. O caso é que cabeça dura que sou não vou nem ao menos lutar por ti e ver você ir é algo que já me conformei. Acho que me acostumei com a solidão. Mas tá tudo bem. Nos meus pensamentos você está aqui em um domingo chuvoso, assistindo um filme ruim e rindo do fato de que dois solitários são mais felizes juntos. Esse é o caso. Mas deixa pra lá. Talvez nosso caso já tenha dado o que tinha que dar.

5 comentários:

Comente pelo Facebook

  1. Ahh que texto legal ♥
    Adoreiii, escreve muito bem :)

    Www.babimarchi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Babi!
      Obrigada pela visita e pelo comentário.
      Beijo!

      Excluir
  2. Belo texto!
    Não sou fã de leitura, mas esse texto me prendeu. Adorei.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sara,

      Que bom que se identificou com o texto. Fico feliz, de verdade. ♥
      Volte sempre

      Excluir