Conheça John Mayer

24 setembro, 2013
Todos nós temos a trilha sonora da nossa vida. Um compilado de músicas que nos fazem lembrar de pessoas, momentos, desilusões e alegrias. Eu poderia citar alguns artistas que fazem parte constantemente dessa lista. Mas nesse post falarei especificamente de um. Inclusive o nome desse blog é uma "homenagem" a uma das músicas dele, chamada Perfectly Lonely

John Clayton Mayer. Talvez você não o conheça. Talvez só ouviu falar das polêmicas que ele protagonizava no passado. Ou então o chame de "namorado da Katy Perry". Compreensivo. Quando o conheci, ele era o "namorado da Jennifer Aniston" para mim. Então, antes de qualquer coisa, vou falar um pouco do "artista John Mayer", não da "pessoa John Mayer" para que você o conheça melhor.
John é americano e sua música tem uma influência muito forte do Blues. Solos demorados de guitarra, letras exaltando a tristeza e presença de instrumentos essenciais do gênero, como o saxofone, em suas canções. Nos seus últimos discos (Born and Raised e Paradise Valley) ele também explorou o Country, sem abandonar o estilo que o consagrou. A maioria de suas canções são de autoria própria, o que torna seus CD's uma espécie de diário onde ele conta suas aventuras, decepções e sua visão do mundo. Impossível não escutar e viajar nas letras, na melodia, e na forma emotiva com o qual ele canta. Deixo uma das músicas dele que mais gosto para exemplificar isso. 


Pois bem, já o apresentei para vocês. Mas porque estou falando dele aqui hoje? 

Creio que a maioria sabe que ele esteve no Brasil e se apresentou no Rock In Rio. O que não foi tão divulgado quanto, foi que ele também fez uma apresentação em São Paulo. E eu estava lá. Foram anos esperando pelo dia em que ele viesse se apresentar para todos os admiradores da sua música. E esse dia chegou. Deixando de lado o lado fã, vou comentar mais tecnicamente as 2h30 incríveis que passamos ao lado dele. 

O que podemos ver foi um John totalmente a vontade no palco e extremamente emocionado e feliz com a receptividade dos brasileiros. Ele chegou a pedir desculpas diversas vezes por ter demorado tanto para vir se apresentar aqui, e em uma delas declarou: "Prometo voltar todos os anos até o resto da minha vida". Também vimos um John confiante com sua voz (ele teve um granuloma vocal e chegou a ficar vários dias sem falar absolutamente nada para se recuperar) e que arriscava seus falsetes novamente. É obvio que sua capacidade vocal não voltou para o nível que era antes da doença. Infelizmente talvez nunca volte. Mas é um alívio para todos nós ver que ele já se adaptou à situação e que provavelmente não terá mais problemas com ela. Mas acima de tudo, vimos alguém que ama realmente o que faz e consegue transmitir isso para quem o assiste. 

Do outro lado da história, estávamos nós. As pessoas que foram embaladas pelos seus pensamentos transformados em canções. E que decidiram adotá-los para si também. Até mesmo alguns artistas estavam lá. Sandy, por exemplo, é assumidamente fã e já declarou ter muita vontade de fazer um dueto com ele. Famosos ou não, todos os que estiveram presentes puderam presenciar um show intimista, cheio de vários sucessos e músicas bem conhecidas por quem já acompanha sua carreira. Cantamos, dançamos, curtimos cada instante. Valeu muito a pena a espera. E esperamos mesmo que você volte sempre, John. Parafraseando um pedaço da sua música Half Of My Heart, We can't stop loving you.

1 comentários:

Comente pelo Facebook