BEDA 14 - Os barulhos da madrugada

20 agosto, 2017
Uma sirene paira no ar.


Alguns carros passam na rua. E eu aqui, imóvel. Dentro desse quarto o silêncio ecoa junto com meus pensamentos. Quantos pensamentos... Mantenho o escuro para conseguir clarear as ideias. Deixo os barulhos que vem de fora criarem a sintonia da minha madrugada. Está frio essa noite. E consigo ouvir agora a chuva começando fraca, tímida, mas tomando o seu lugar. Ah, como eu amo o barulho da chuva... É o aconchego perfeito e a companhia que precisava para embalar minha noite. 

Eu gosto de pensar. Passei do estado de odiar essas tantas ideias que passam e ficam na minha mente para admirar a forma rápida com a qual as coisas surgem na minha cabeça. 

Pensei tanto em mim... O que vi, vivi, cresci, explorei, aprendi... O que chorei. E como chorei. O fato de estar em paz comigo mesmo é resultado do quanto levantei dos tombos que a vida me deu. Não foram poucos. Mas agora vou crescendo, dia após dia para um futuro mais bonito.

Pensei tanto em nós... Eu odeio admitir quando alguém me faz falta. Essa mania estranha de ser auto suficiente faz parte de mim e eu acabo camuflando o fato de que às vezes, além da chuva e dos carros na rua, eu queria alguém do lado. E eu já peguei o celular algumas vezes para mandar um "Hey, como estão as coisas aí?", mas no fim deixei de lado e agora ele está perdido entre os lençóis. Até tentei arriscar algum programa na TV, mas acredita que uma cena de um programa qualquer me lembrou muito de uma situação que vivemos? Eu ri por um instante pra depois me lembrar de que não está por perto para poder comentar isso depois.  

Você não está aqui. E a chuva aumentou um pouco mais. Um barulho tão gostoso de se ouvir. Deito a cabeça no travesseiro e lembro do último beijo que você me deu. Sorrio um pouco mais. Adormeço com o barulho da água caindo enquanto sonho contigo. 


BEDA 13 - Personalidade e os padrões impostos

19 agosto, 2017
Olá, pessoinhas! Como estão?



Esses dias fui agraciada por uma inflamação na gengiva graças aos dentes do siso que estão nascendo. Imaginem a dor que estou sentindo... Mas por que estou falando isso? Pra compartilhar as 34654232 de sopas que estou tomando esses dias? Não!

Estava tranquilamente assistindo TV quando começou aquele programa Esquadrão da Moda. Já assisti algumas outras vezes, mas hoje algo me chamou muito a atenção. Algo que eu sei que acontece em todos os programas, mas que não tinha me tocado do quão maléfico é.

A convidada do dia é advogada. Adora roupas curtas, estampas chamativas e tem um cabelo marsala. É da sua personalidade. A questão é que ela foi julgada todo o tempo sob a justificativa de que suas roupas não eram adequadas para seu ambiente de trabalho. E que ela precisava de roupas mais sérias.

Quando você se deparava com a jovem, via alguém cheio de vida, divertido, engraçado. Ela tinha um sorriso encantador e contagiante. E seu cabelo marsala era divino! Até eu quis aquela cor hahaha No fim, eles prestaram sua consultoria, trocaram suas roupas, pintaram seu cabelo para um vinho bem escuro e ela saiu com uma cara até satisfeita.

Se ela saiu satisfeita, qual é o problema? Outras pessoas moldaram a personalidade dela. 

Mudanças são válidas e bem vindas, servem para a evolução do ser humano. Desde que seja uma escolha própria, e não para agradar pessoa x ou y ou para se inserir em um padrão ou grupo.

Mas você pode me dizer: "Isso é um problema mais grave, ela precisa se adequar para conseguir trabalho na área". Sei que Direito é uma área complicada, tenho amigos advogados que gostariam de fazer tatuagem ou pintar o cabelo de outra cor e não podem porque não conseguiriam mais emprego. Mas a questão é muito mais complicada, pois sabemos que se expandirmos esse assunto para a vida pessoal, a situação continua parecida.

Darei um exemplo pessoal: Dia desses comprei um short de veludo. Coisa mais linda, do jeito que queria. Para ir em uma reunião com amigos próximos, resolvi fazer um look que estava planejando há muito tempo: Uma camiseta inspirada em camisetas de times americanos (você pode ver ela nessa foto aqui e aqui), o short, minha bomber vermelha amada e uma bota de veludo para quebrar o look 100% esportista. Em breve quero fazer esse look pro blog, porque modéstia a parte, ficou muito lindo hahaha

Quando estava saindo de casa, minha mãe questionou meu look: Dizia que não tinha nada a ver, que era horrível e que com aquele short curto parecia uma periguete. Que era melhor trocar de roupa e colocar uma roupa mais "de mocinha". A questão é que "de mocinha" não é meu estilo, não reflete minha personalidade e dá pra contar nos dedos as roupas fofas que tenho no guarda roupa. 

Com todo respeito à minha mãe, fiquei com minha roupa e muito feliz. Porque aquilo é exatamente quem eu sou. É a minha personalidade. E eu demorei muito para construir isso, agora tenho muito orgulho. 

E depois de todo esse textão, que mensagem quero passar afinal? Sejam vocês, e não o que querem que vocês sejam. A juventude de hoje tem problemas sérios de auto estima, de confiança, de acreditar em si mesmo. Mas você é incrível do jeito que é. Sendo roqueiro, usando roupas curtas, ou com o estilo bonequinha. Apenas seja você. <3 

BEDA 12 - Ensaio pelas ruas de SP

17 agosto, 2017
Oi gente, tudo bem?

Como eu disse nos últimos posts, eu estou me aventurando no mundo da fotografia. Sou uma mera aprendiz, mas gosto de sair pelas ruas e fotografar azamigas para tentar.

Algumas semanas atrás, saí com minha amiga Angélica pelas ruas da Vila Olímpia e do Itaim, e quis compartilhar algumas das fotos que fizemos. 




 

Eu sou muito apaixonada pela fotografia urbana. Gosto de explorar lugares, tanto pros meus looks quanto para o instagram. A Angel também adorou a ideia e começamos a andar . Logo encontramos essa árvore lindíssima que combinava com o cabelo dela hahahaha

Andamos por algumas paredes coloridas, e até mesmo essa cinza chamou nossa atenção, pois dava o foco todo para o cabelo e a roupa azul dela.


Eu, com todo o meu medo de altura, decidi que subiríamos em uma passarela para fazer alguns cliques com o fundo desfocado (50mm te amo!). E sim, me tremi toda, suei, achei que ia cair de lá mas o resultado valeu a pena!

Ainda encontramos essa ruela maravilhosa no meio do Itaim. Cheia de árvores, com as paredes coloridas e um ar todo fofo no meio do caos de SP! Nesse momento estávamos em plena Golden Hour, o que deu um ar ainda mais romântico nas fotos que eu só reforcei com o preset. 




Por fim, já no comecinho da noite, colocamos luz na passarela e deixei ela desfilar nos últimos cliques! hahahaah

Foi uma tarde muito divertida e que com certeza vou repetir com ela e outras amigas!



E aí, curtiram? Qual o estilo de fotos preferido de vocês?